Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2016

JUVENTUDE NÃO TEM ASPAS, NEM VELHICE É PONTO FINAL. É NAS RETICÊNCIAS QUE A VIDA SE MOVE

Imagem
JUVENTUDE NÃO TEM ASPAS, NEM VELHICE É PONTO FINAL. É NAS RETICÊNCIAS QUE A VIDA SE MOVETerça feira chuvosa e fria, numa cidade habitualmente quente. O cenário era praticamente um convite para assistir a um dos filmes exibidos numa Mostra local de Cinema, que ocorria naquele período. Talvez não uma comédia dramática, de produção chinesa, numa sessão que adiaria o almoço, mas, como minha restrita disponibilidade de horário não me oferecia muitas opções, acabei superando o estranhamento inicial daquela sinopse e, na companhia de meu marido e filho de 11 anos, me aventurei pela sala de cinema. O filme escolhido foi “O Ciclo da Vida” (Fei yue lao ren yuan), dirigido por Zhang Yang, que retratava o cotidiano de um grupo de idosos, residentes em uma casa de repouso no norte da China, os quais, liderados pelo velho Zhow, resolvem participar de um concurso televisivo de talentos e, para tanto, empreendem uma jornada em prol desse objetivo. Já nos momentos iniciais, percebemos o tom da produção …

O EVANGELHO SEGUNDO GODARD

Imagem
O EVANGELHO SEGUNDO GODARD
PORADEMIR LUIZ
Jean-Luc Godard não tem fãs. Tem estudiosos. É como Hegel ou Kant, que não têm leitores, têm eruditos especializados. Ninguém lê “Fenomenologia do Espírito” ou “Crítica da Razão Pura” para matar tempo em uma tarde chuvosa. O mesmo acontece com alguns trabalhos de Godard, como “Filme Socialismo”, “Nossa Música” e agora com sua experiência com a tecnologia 3D “Adeus à Linguagem”. Nem sempre foi assim. Assisti-lo já foi moda obrigatória entre os jovens que se consideraram politizados. O que incluía multidões e mais multidões nos anos 1960. Não assistir filmes como “O Desprezo”, “A Chinesa” e, sobretudo, “Acossado” era estar fora da rodinha de conversa na faculdade e nos bares da moda. Hoje, tudo mudou. É preciso razões acadêmicas, profissionais ou gosto pela cinefilia para alguém se dispor a vê-los. Ao mesmo tempo, ninguém nega a importância da obra de Godard. Sua impenetrabilidade conscientemente construída gerou um dos mitos mais fortes da históri…

DRAMA RELIGIOSO SOBRE ESTUPRO E FÉ : FILME "AGNUS DEI" BASEADO EM FATOS REAIS DE DEZENAS DE FREIRAS GRÁVIDAS,QUESTIONANDO SUA FÉ

Imagem
Diretora de "Agnus Dei" ouviu freiras para filmar drama sobre estupro e fé
Anne Fontaine nasceu em Luxemburgo, vive na França, mas passou parte de sua infância e adolescência em Lisboa, onde teve bastante contato com a religião católica, apesar de não acreditar em Deus. Algumas décadas depois, a diretora de cinema se viu imersa em dois diferentes conventos na França para se preparar para contar a história real de uma médica francesa ateia que ajudou freiras polonesas no final da Segunda Guerra Mundial. 
"Perguntamos para as irmãs o que elas achavam do roteiro, da história, pedimos para elas falarem sobre maternidade. Para mim era muito importante estar o mais próximo possível da realidade delas", conta a diretora do drama "Agnus Dei" ao UOL. Depois de ser muito bem recebida na França e em festivais nos EUA, como Sundance, a produção franco-polonesa estreia no Brasil nesta quinta-feira (14).
O drama conta a história de Mathilde Beaulieu, uma médica que trabal…

10 LIÇÕES QUE EU APRENDI COM O FILME "A VIDA SECRETA DAS ABELHAS"

Imagem
10 lições que eu aprendi com o filme “A vida secreta das abelhas”

Nat Medeiros - 5 jul, 2016 Vida Secreta das Abelhas é um filme que deve ser visto. Deve ser visto porque é um filme sobre mulheres fortes. É um filme sobre mulheres sensíveis. É um filme sobre mulheres que desafiaram a ordem vigente, se apoiaram umas nas outras e escreveram seus próprios caminhos. Resumindo: é um filme extremamente feminino e inspirador. Nele, é contada a história de uma adolescente, Lily, que se sente culpada pela morte da mãe. Lily mora com o seu pai e com Rosaleen, uma empregada negra, no interior dos Estados Unidos, na década de 60, em um contexto extremamente racista. Lily não tem o carinho do pai, que é frio e lhe maltrata. Quem lhe cuida e dá amor é Rosaleen. Um dia, Rosaleen é agredida por homens racistas, e Lily, cansada de ser maltratada pelo pai, foge de casa com ela. As duas acabam parando na propriedade de August, uma mulher negra que tem duas irmãs: May e June. Elas possuem um bom negócio, onde pr…