QUEM TEM MEDO DE FILME CULT ?

Quem tem medo de filme cult?

Laranja Mecânica
Acho que todo mundo já passou por essa situação: você vai ver um filme, seja consciente ou por ter sido enganado pela sinopse, e acha tudo uma grande porcaria. Comprido, tedioso, metido, enfim, um saco. Você sai do cinema (ou desliga a tv, se estiver em casa) e um estranho fenômeno parece ter tomado conta do resto da humanidade. As pessoas gostaram daquela bomba que você acabou de ver!
animainacs-chairman of the bored
animaniacs-chairman of the bored
Nesse cenário, parecem restar poucas alternativas. Você pode manter as suas convicções e reafirmar que nenhuma tortura militar pode ser pior que aquilo, e correr o risco de ser chamado de inculto e preguiçoso. Pode também fingir que gostou e entendeu, engrossar o coro dos admiradores e aí se sentir no direito de chamar os outros de incultos e preguiçosos. Ou pode também se manter em silêncio e fingir que nada aconteceu. O que você prefere?Hiroshima, meu amor
Eu sugiro uma outra opção: tentar descobrir porque as outras pessoas gostaram tanto, e se, de repente, não vale a pena dar uma outra chance a esse filme ou a outros parecidos.
Sei que você deve ter pensado ” tá louca? eu já perdi 3 preciosas horas da minha vida e não tô a fim de desperdiçar mais”. Mesmo assim, eu insisto.
Quando a gente está no ensino fundamental, lutando pra extrair algum sentido daquelas letras embaralhadas, é extremamente improvável que nos empurrem logo pra Machado de Assis ou Clarice Lispector, não é verdade?
E mesmo quando já somos mais velhos, e até gostamos de ler, sei lá, Pedro Bandeira e Fernando Sabino (que são muito legais), é um choque quando de repente somos apresentados a Guimarães Rosa. Pelo amor de Deus, né? O homem usava palavras inventadas!
E a gente vai se fechando em preconceitos contra esses autores que parecem tão inacessíveis, até o dia em que a gente se depara com um professor legal, que explica o contexto da obra, o que o autor quis dizer, e mais outras coisas que a gente nem desconfiava que estavam lá. E quando a gente resolve dar uma segunda chance, espontaneamente ou porque vai cair na prova, vem aquela sensação de deslumbramento, de ver que realmente era tudo aquilo que todos falavam.
oito_meio-felliniOs filmes que são mais comumente chamados de “cult”, ou “de arte”, são aqueles que fogem daquela estética mais acessível a que todos nos acostumamos desde cedo. Pode ser pelo tratamento mais realista ou “cru” de certo tema, uma forma diferente de contar a história, alguma técnica cinematográfica inovadora, um roteiro mais complexo, ou algum outro aspecto.
O que importa é que ele parece diferente do feijão-com-arroz (não necessariamente ruim) de todos os dias que lota os multiplexes.
É como assistir às provas de ginástica artística nas Olimpíadas. Quando a atleta é mediana, ou não treinou tanto, ela pode se contentar em fazer os movimentos mais simples, em que as chances de errar são menores. O público acha bonito, os jurados dão notas justas, e todo mundo termina mais ou menos satisfeito.
Mas ela pode também se sentir mais confiante, resolver ousar, fazer um exercício mais complicado. Se der errado, ela vai perder pontos ou se estabacar no chão. Se der certo… ela pode arrancar várias notas 10 e se tornar uma Nadia Comaneci. Não vale a pena?
nadia-comaneci
Eu não sou A especialista em cinema, nem vi todos os filmes que gostaria de ter visto. Mesmo assim, vou compartilhar aqui algumas dicas que têm me servido. Quem sabe são úteis pra você também.
  • Passe a acompanhar o trabalho de críticos confiáveis, o que você pode encontrar em muitos blogs por aí. Hoje em dia todo mundo mesmo resolveu escrever sobre cinema, mas dê preferência a quem não fica só seguindo o hype do momento e nem tem medo de ir contra a maré se achar que o filme não é essa coisa toda. Como a Ana Maria Baiana, ou aLola, ou até eu :D
  • Fuja dos que têm aquele discurso prontinho ” tal diretor é gênio, interpretações soberbas, fotografia perfeita, pérola da sétima arte” mas não justificam essas respostas. Pior ainda se vierem com “quem não entendeu que vá assistir Transformers/Homem-Aranha/filme pop do momento”.
beatniks
  • Leia livros sobre cinema, eles ajudam a esclarecer muita coisas e vários são até bastante divertidos. Eu recomendo pra começar o “Tudo sobre cinema” da Editora Sextante (tem o Michael Corleone na capa), ele é super didático, bem dividido, em ordem cronológica e cheio de fotos.
  • Às vezes é difícil, eu sei, mas tente não largar um filme logo no começo, ou até na metade. Quando eu fui assistir Dogville (2003) no cinema muita gente saiu da sala só por ter descoberto que o cenário era de teatro. Eu até achei o começo meio chatinho, mas depois ele fica tão empolgante, que realmente é uma pena que mais gente não tenha insistido.
  • Alguns diretores têm trabalhos que variam em nível de “dificuldade”. Pra começar a ver David Lynch, por exemplo, eu recomendaria Veludo Azul (Blue Velvet, 1986), ou a série Twin Peaks (1990-1991), e aí dá pra passar pra Cidade dos Sonhos (Mulholland Drive, 2001) A Estrada Perdida (Lost Highway, 1997), o meu favorito.
A Estrada Perdida
Querida, tudo aqui é lindo, mas nada faz sentido. Acho que estamos num filme do David Lynch
  • Por mais que certos filmes tenham suas qualidades, pode acontecer de a gente não gostar deles de jeito nenhum. Aí não adiante forçar. Enganar a si mesmo ou fingir pros outros só vai te deixar mais frustrado.
  • E existem os filmes que, apesar de terem causado um certo furor, acabam se revelando só ruins mesmo. Fingir gostar deles só vai te fazer passar vergonha depois. Se fossem ginastas, esses seriam as que se arrebentam feio.
Acima de tudo, não seja o metido da turma. Pode ser que no começo você fique muito deslumbrado, e resolva espalhar aos quatro ventos a sua nova paixão por cinema, mas se controle. Ninguém aguenta quem cita diretores badalados gratuitamente na fila do pão ou em qualquer conversa de bar. Poupe o mundo de mais um chato.
retro couple
“Oi gata! Eu curto Kubrick, Kurosawa, Woody Allen, Fellini, Bergman, Antonioni, Godard, Truffaut, Buñuel, Scorcese, Lars Von Trier e Lynch. E você?”
“Eu vou ali no banheiro e já volto”
É possível também que mesmo depois de tudo isso que eu falei você diga ” muito obrigado, mas eu prefiro continuar vendo os filmes de sempre”. Você vai se divertir, é verdade. Pode ver coisas realmente muito boas.
Mas pode estar também perdendo a chance de ver aquele filme que ia mudar a sua vida.
Fonte:http://ofilmedatarde.com/2013/02/05/quem-tem-medo-de-filme-cult/

Postagens mais visitadas deste blog

ALÉM DE MATRIX : 10 FILMES QUE VÃO FAZER VOCÊ QUESTIONAR A REALIDADE

FILME DOUTOR ESTRANHO,É COMO SE FOSSE UMA VIAGEM PSICODÉLICA

CENAS DE SEXO NO CINEMA AINDA SÃO TABU ?